Fruto da parceria público-privada estabelecida entre a empresa Light, a Agência Nacional de Energia Elétrica e a Secretaria de Estado de Cultura, por meio da lei estadual de inventivo à cultura, a ação “Agenda Funk RJ” conta com cerca de 40 bailes programados, além de outras atividades de criação e circulação artística na área do Funk.

Os responsáveis pelos eventos foram selecionados através de edital público que Programa Territórios Culturais RJ / Favela Criativa lançou no final de 2016, para diversas áreas, linguagens e expressões. O conjunto de editais previa o montante de R$ 3.8 milhões de investimento em ações culturais a serem realizadas em 31 municípios do Estado e para a “Agenda Funk RJ” foram destinados cerca de R$ 500.000,00(quinhentos mil reais).

Apesar de ser um ritmo de exportação, tocado e remixado por DJs do mundo todo, sucesso nas casas de shows mais badaladas em todo o território nacional, o Funk encontra sérias dificuldades em conseguir apoio de políticas públicas para a sua realização, principalmente em regiões mais afastadas dos grandes centros urbanos, pois em geral é produzido por pequenos agentes culturais em estúdios improvisados e utilizam a internet como seu principal meio de divulgação. Apoiar essas ações tem sido uma das ações estratégicas da SEC-RJ, por meio da Superintendência de Cultura e Território.

É preciso valorizar o Funk de qualidade, que vem sendo produzido, cantado e dançado para além da capital do Estado. O primeiro evento da “Agenda” foi realizado no centro de Valença, cidade situada na região do Médio Paraíba. Foi o “Baile das Antigas – o verdadeiro Funk do vinil” realizado pelo produtor Luciano de Almeida, conhecido como The Lutty:

“Em meio a esta pluralidade cultural, o projeto visa a fortalecer ainda mais o funk antigo […] tendo em vista que esse movimento está voltando com força total e reunindo pessoas daquela época, bem como os jovens que cresceram ouvindo o ritmo através dos pais e de alguns familiares. Esse projeto é uma atividade cultural popular que acontecerá dentro do Clube dos Democráticos, onde haverá vários dj’s tocando Funk da época do vinil, desde os anos 80, com a participação de MC’s da antiga.” Luciano de Almeida (The Lutty).

Vale lembrar que “Agenda Funk” foi formulada a partir de vários encontros com representantes do Funk e existe desde 2011, quando a SEC-RJ lançou com recursos próprios o primeiro edital voltado para a cadeia produtiva do Funk. Somadas todas as edições realizadas, a ação já destinou cerca de R$ 1.650.000,00 (um milhão, seiscentos e cinquenta mil reais) para 90 edições de bailes Funk e 65 projetos de criação e circulação artística, apoiando equipes de som, DJs, MCs, dançarinos, produtores, grupos, bondes, pesquisadores, dentre outros agentes.

Para 2017, além dos cerca de 40 bailes a ação “Agenda Funk” ainda trará algumas surpresas como a realização de filmes de curta e longa-metragem, vídeo-clips, web séries, gravação de faixas, EP’s e álbuns completos, digitalização de acervos para web sites, montagem e circulação de espetáculos de dança, e projetos de performance.

CONSULTE AQUI A AGENDA PARA ACOMPANHAR OS PRÓXIMOS EVENTOS.